€ 94.000.000

Indignemos-nos vá. Noventa e quatro milhões de euros por uma pessoa é um disparate de dinheiro. Ainda para mais quando se atravessa uma crise económica que promete piorar muito antes de melhorar. É fácil indignarmos-nos face a este aparente esbanjamento de divisas. É fácil invocar os milhões de famélicos africanos e colocá-los ao lado do jogador de futebol mais bem pago de sempre. É demasiado fácil, até. Não acho que Cristiano Ronaldo valha 94 milhões de euros. Todavia não me chamo Florentino Perez e não sou presidente de um dos maiores clubes de futebol do mundo. Se esse tal Perez acha que CR7 vale tanto cacau é porque vale. É porque esse tal Perez espera que, o agora, CR9 multiplique esses 94 milhões por muitos mais, com taças e medalhas à mistura. Cristiano Ronaldo é um operacional de uma empresa. Um operacional que só custou muito dinheiro porque se esperam grandes coisas dele.

Indignemos-nos, sim, mas não com os números. Indignemos-nos contra a indignação que as sonsas virgenzinhas  da nossa praça gostam de mostrar em relação ao puto maravilha. Acham mal dar-se tanto por um miúdo mimado e talentoso. Mas não acham mal dar-se tanto a vigaristas e charlatões, ainda quando esse “tanto”  lhes sai do próprio bolso. Sim, claro, 94 milhões dão para muita coisa: para matar a fome em África (ou pelo menos dar-lhe uma valente sova), para ajudar na luta contra a SIDA, cancro, malária, micose e pés-chatos, e por aí afora. Então e se esse valor, supunhamos, fosse 310.000.000 de euros? O que daria para fazer – nem falo em comprar – com tanto dinheiro? Ainda mais coisas, suponho. Quer saber, contabilístico leitor, onde fui buscar este redondo número? Foi o que a Igreja Católica gastou durante o ano passado em processos judiciais e indemnizações relacionadas com abusos sexuais. E isto só nos Estados Unidos da América. Agora, sim, indignem-se.

Anúncios

8 pensamentos sobre “€ 94.000.000

  1. “Cristiano Ronaldo paga IRS como se recebesse o salário mínimo”
    “Transferência de Ronaldo alimentava 8,6 milhões de etíopes até ao final do ano ou podia ajudar 2 milhões de paquistaneses que tiveram de fugir de suas casas.”

    Visto assim, mete mesmo muito nojo…

  2. Essa do IRS é sempre de desconfiar… A menos que tenha sido o contabilista dele a chibar-se não estou a ver como conheceríamos a verdade dos factos. Quanto à conversa dos etíopezinhos a morrer de fome: ora, poupa-me (não me leves a mal…). Se ninguém pensa nos etíopes quando gasta carradas de dinheiro em copos, telemóveis, roupas de marca e jantares faustosos – em que se desperdiça mais comida do que aquela que se come-, porque haveria o presidente de um clube de futebol, que é pago para gerir uma empresa e fazer com que essa empresa obtenha os melhores resultados possíveis, abarcar o destino da Etiópia como se fosse o seu? E os milhões que foram gastos no Iraque, no Afeganistão e nas guerras civis em África? Não será esse dinheiro muito mais mal gasto que o do Real Madrid? O Real Madrid fez um investimento. Ponto final. Esse ponto de vista, Joana, pertence a um de dois tipos de pessoas: às que abominam o futebol, ou às que gostam de embandeirar a hipocrisia do mundo desenvolvido, que olha para o lado e mete as culpas de todos os males do mundo no vizinho do lado. Como se tu e eu não tivéssemos também uma quota de culpa por morrerem criancinhas de fome todos os dias.

  3. Claro que somos todos culpados, os nossos luxos não os trocamos para dar uma carcaça a um gajo que vive numa barraca. Mas comparar isto com alguém que vai receber 5/6 mil euros por dia… É comparar, e desculpa o palavreado, “O olho do cú com a Feira da Moita”.

    Eu não me posso por na posição de dar dinheiro a etíopes e palestinianos e fron fron fron, mas ao menos ajudo no Bando Alimentar Contra a Fome x) Agora a sério, não acreditar que é um exagero é também uma hipocrisia. Sabemos que estamos todos em crise, gente a morrer a fome por este mundo a fora e depois há quem tem dinheiro suficiente até para limpar as nalguinhas com ele. A crise, essa filha da puta, só existe para alguns. Custa saber que só há crise porque se quer… E isso sim, é criticável.
    Se a culpa é do CR(ex7)9? Não… ‘Tão se dão esse dinheiro por ele, parvo seria ele em dizer que não. O rapaz não tem a culpa de saber jogar bem à bola (apesar de eu achar que ele em termos de jogar não vale assim tanto, mas pronto…).

    P.S. Olha que eu gosto bastante de futebol paaaa! (x

  4. Eu não disse que não era um exagero, e passo a citar-me “Não acho que Cristiano Ronaldo valha 94 milhões de euros.”… O ordenado dele é outra conversa mas com a mesma bitola. Se ele pode doar parte do seu dinheiro? Claro que pode e acredito que o faça. A grande maioria das doações a instituições como AMI e Banco Alimentar são feitas por anónimos convictos. Portanto, o que nos garante a nós que neste momento não está a caminho da Etiópia um C130 carregado com a enorme despensa do CR9?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s