As esmeraldas não nascem em anéis.

Nascem sim em bolsas hidrotermais, principalmente, onde as condições ideais de temperatura, pressão e sobressaturação se mantiveram tempo suficiente para que a solução em causa precipitasse e cristalizasse o berílio, o alumínio e o silício necessários e ainda que, durante os milhões de anos de construção, organizasse os elementos acima descritos de forma a criar uma esmeralda e não outro mineral qualquer. Como se vê, criar minerais não é tarefa nem fácil nem rápida. É um parto bastante difícil para a Terra, mas tão natural que o faz se sem dar por isso.

Este anel tem como prato principal uma esmeralda, os diamantes e a platina são o acompanhamento, manda-se para os 2.4 milhões de dólares (assobio de olhos arregalados). Já isto é uma esmeralda ainda cravada na sua matriz proveniente da Zâmbia. Tem 3 cm de comprimento – ou altura, neste caso – e um preço de mercado que ronda os 4.500 dólares.

No entanto. esta outra imagem aqui por baixo, representa uma água-marinha, parente próximo mas muito menos precioso da esmeralda. O cristal em questão tem 4 cm de altura por 3 de largura, e minúsculas estrias fazem surgir a ilusão de uma gasosa. É um prisma perfeito, com arestas tão definidas que até mete nojo.

Custa “apenas” 2.500 dólares. Subvalorizada?Talvez.

Diga-me o gemológico leitor, qual das três peças aqui descritas acha mais espectacular.

Desde épocas imemoriais que os seres humanos dão um valor desmesurado a este tipo de minerais – gemas -, trabalhando-os, melhorando-os (na óptica da maioria das pessoas) de forma a que se possam pavonear com eles ou ganhar dinheiro com isso. As esmeraldas não nascem em anéis, mas parece. Devido à sobrevalorização da joalharia as peças em “estado selvagem” como as apresentadas acima rareiam cada vez mais, enquanto os joalheiros compram toneladas de pedras a preços irrisórios e guardam-nas nos cofres durante anos para que o seu preço de mercado não desça escabrosamente. É prática corrente quer no mercado das esmeraldas, rubis, safiras e água-marinhas, mas principalmente no dos diamantes. Chama-se especulação e apesar de não ser ilegal, é, vá, feio.

Nota: tanto a esmeralda como a água-marinha em cristal encontram-se em colecções privadas e a salvo de qualquer esmeril e lima mais famintos.

Anúncios

2 pensamentos sobre “As esmeraldas não nascem em anéis.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s