O Linux é para todos e de borla, como o Sol

Simples e eficaz. São os dois adjectivos que se me vêm à cabeça de cada vez que me perguntam o que acho do Linux. Se o meu caro amigo usa o computador para internet, filmes, música e armazenar quilómetros de fotografias, não há melhor. Se gostar de um joguinho ou outro de vez em quando tem sempre milhares à disposição gratuitamente, mesmo que goste de trucidar amigos e inimigos on-line. Precisa de escrever uma cartinha a alguém e não sabe onde está o Word? Nem precisa. Aplicações, Escritório, Processador de Texto. Ah, já tem o modelo da carta, mas está em formato Word 2007? Não tem problema, o Open Office reconhecerá esse modelo e assobiar-lhe-á se valer a pena. Tem conta no MSN, usa o Messenger e não gosta do e-Buddy? Então clique ali e escolha o Empathy. O quê, Photoshop? O Gimp não lhe chega? Abre o dobro do tipo de ficheiros do rival da Adobe e se quiser trabalhar com ficheiros RAW é instalar o UFRaw. Simples não é? Se precisar de outros programas para outras coisas é só abrir o Gestor de Software, ou o Synaptic, e enquanto o Senhor das Trevas esfrega um olho já o programa está instalado e pronto a trabalhar. Sem pagar. Sem crackar. E acima de tudo sem reiniciar o computador. Sim, mesmo sem reiniciar a máquina o programa está pronto, não fique tão escandalizado. A única queixa que tenho a fazer à malta que trabalha nisto do Linux, versão Ubuntu, é ainda não terem arranjado um clone a sério do AutoCAD, mas de distribuição livre, claro. O QCAD é o mesmo que um gajo precisar de uma chave de fendas e nos darem uma navalha: serve para desenrascar, mas a chave é que fazia bem o trabalho.

Instalei-me definitivamente no Linux há uns meses e nem penso em deixá-lo. Só tenho duas razões verdadeiramente fortes para deixar o Linux de vez em quando: o AutoCAD, e como isto anda nem sequer o tenho instalado, e o Dungeons and Dragons Online, se bem que já ouvi dizer que funciona bem com o WINE, mas ainda não consegui pôr a coisa a bulir. Não sabe o que é o WINE? Bem, é uma aplicação que lhe permite correr aplicações em Linux que foram especialmente concebidas para Windows.

Outro problema que por vezes surge são os drivers de proprietário. O problema é simples e resolver-se-ia depressa se alguns fabricantes tornassem público o código-fonte dos controladores dos seus dispositivos. Assim, a malta Linux adaptá-los-ia para os diferentes Linuxes e quem comprasse aqueles dispositivos poderia escolher o sistema operativo do seu computador. Assim só dá Windows, claro. Isto é mesmo problemático nos portáteis em que a troca de um único dispositivo é praticamente inviável. Mas não é só um problema do Linux, que é feito por jovens militantes que trabalham à conta de donativos: o Windows 7 que instalei neste mesmo computador, onde também há Linux, não detecta a minha placa de som que, ao contrário do que se possa pensar, não é de um obscuro fabricante sediado nas Ilhas Caimão, mas sim a Intel. Ora, milhares de gajos principescamente pagos para dominar o mundo informático, que amealham milhões e milhões de dólares anualmente, não conseguiram criar um programa que reconhecesse uma placa de som fabricada por outro gigante informático, ao passo que umas centenas largas de putos, piratas informáticos e engenheiros dissidentes a trabalhar em garagens e caves obscuras, conseguiram. E melhor que isso tudo: é de borla. Grátis. À borliú.

Fica aqui o link para a versão que eu uso. E de que gosto. Muito.

3 pensamentos sobre “O Linux é para todos e de borla, como o Sol

  1. Parabéns, acho que com este post conseguirás atrair algumas pessoas para o mundo do linux. pessoalmente ja trabalhei com algumas versoes do ubunto e larguei quando o meu computador ja antiguinho comecou a ficar lento, claro que eu era menino de ter as mariquces todas do compiz ligadas so pa me divertir com aquilo depois.instalei o debian até que voltei a ficar viciado a jogar. Starcraft, a minha perdição no mundo dos jogos. Voltei para o windows e até hoje não sei mais linux… mas conto voltar. btw parabéns pelo blogue

  2. Por acaso sabes que o Starcraft funciona perfeitamente no WINE? Neste momento não o tenho instalado porque troquei de máquina há pouco tempo e ainda nem me lembrei do Starcraft. Se andas a Windows só por causa do jogo, digo-te já que não é uma desculpa válida:)

    Obrigado pelos elogios e principalmente pela visita.

    Antes usava o mesmo Ubuntu, 9.10, numa máquina bem abaixo desta e tinha que ter as “mariquices do compiz” desligadas que o rapaz não se aguentava. Com este é tudo no máximo e nem bufa. E já tem 5 anos. (Pentium III, 3.20, 1Gb RAM e NVidia de 512).

  3. Não é só por isso, mas também. No tempo em que usava linux experimentei o Starcraft no WINE mas não era a mesma coisa, ficava lento não tinha a mesma resposta que em Windows, talvez tivesse sido pelo compiz ou algo que tenha feito de errado ou pode ser que agora esteja melhor.
    A minha calinada “ubuntO” ficou ali muito mal, estava a escrever no telemóvel e dá nestas coisas:)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s