Wayne Martin Belger: o Alquimista da Fotografia

Wayne Martin Belger é um gajo meio lunático. Meio lunático de uma forma tão assombrosa quanto desassombrada. É um verdadeiro alquimista da fotografia, talvez o último da sua estirpe, numa busca incessante e quase patológica pela pureza do que fotografa. Tão meticuloso como os tais protoquímicos medievais, Wayne Belger, imerge no objecto a fotografar, estuda-o de cabo a rabo, busca a sua essência metafísica. Uma vez encontrada fecha-se na oficina e constrói a pedra filosofal perfeita que capturará essa tal essência numa película de filme foto-sensível. Sem truques de luz ou sensores electrónicos, o que vemos nas fotografias de Belger nada mais é do que o objecto fotografado por si mesmo. “O horror da criação e a beleza da decadência“, como ele próprio diz, em todo o seu esplendor.

E se as fotografias que faz são algo perturbantes – muito pelo facto da metodologia ser a conhecida e cada vez mais em desuso pinhole – as câmaras que fabrica e usa, as pedras filosofais através das quais as “almas” dos objectos se tornam visíveis, não são menos impiedosas no que toca a pertubar a alma.

A que melhor e mais profundo o faz será quase sem sombra de dúvida a Untouchable:

Fabricada em alumínio, cobre, titânio e acrílico, possui um sistema de bombagem daquele líquido vermelho que ao passar pela frente da lente se torna ele próprio um filtro colorido. De vermelho. De sangue. Melhor: de sangue infectado com HIV. Sim, leu bem: a máquina incorpora sangue infectado com HIV na seu estrutura e usa-o como filtro colorido.

Será quase escusado dizer que Wayne Martin Belger usa esta pinhole Intocável para fotografar vítimas de HIV. Percebe agora onde eu queria chegar com a conversa da essência do objecto e de máquinas fotográficas que a revelam de uma forma perfeita?

Pronto é isto.

Nota: a fotografia da senhora um bocado grávida ali em cima foi feita com uma outra pinhole chamada Heart, construída para fotografar futuras mães e para o próprio Wayne explorar a relação dele com o seu irmão gémeo falecido à nascença. Podia dar-lhe para pior.

Link.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s